quinta-feira, 21 de abril de 2011

Gostava que a vida me voltasse a dar o que me tirou...


As minhas palavras não chegam para demonstrar aquilo que tenho sentido, aquilo que tenho vivido. Nada tem sido como outrora foi. Não percebo porque teve de ser assim, não percebo as voltas que a vida dá. Tem sido difícil, bastante até. Sinto a mágoa da tua ausência, sinto falta da tua presença. Talvez nunca te tenha dito, ou nunca tenhas percebido a importância que tudo teve, a importância que dei a tudo. Não por palavras nem actos, mas tudo no coração. Guardado. Nunca esquecido. Sentimentos marcados. Não sei o caminho a percorrer, não sei a quem dar a minha mão e muito menos o meu coração. Esse... esse chama pelo que lhe realmente o faz feliz. Chora pela tristeza que do que passou, pelas memórias, pelos bons momentos, pelas pessoas que fizeram parte da sua vida. No presente nunca vou conseguir lidar com o passado. Foi esse passado que fez com que me mostrasse ao mundo. Hoje, no presente, não vou conseguir ser eu de novo nem viver o futuro com a intensidade e confiança com que vivi no passado. É tão duro, custa-me tanto. Todas as noites penso em tudo o que tenho feito, vivido, conhecido... falta-me muitas coisas. Mas não sei explicar ao certo o que é. Só sei que sinto uma faca espetada no peito e sem norte algum. Esta ansiedade está a consumir-me por dentro pelo facto de viver na expectativa que alguma coisa mude. Mas sei que não posso esperar por muito! No minimo devo esperar pelo me está destinado... A questão aqui é saber de facto o que me vai ser dado. Sinto que já não me conheço, deixei de ser quem fui e tenho pena. Tenho pena de antes desejar ser outra pessoa, e agora que me perdi desejo novamente ser a pessoa que antes não queria ser. Talvez não se entenda o que aqui escrevo, mas é um bocado daquilo que sinto. Desculpem, é frustrante.

3 comentários:

ButterFly disse...

Então tens de lutar por aquilo que perdes-te...Nós nunca estamos contentes com aquilo que temos. E quando perdemos percebemos que afinal nao estavamos assim tão mal.

Acima de tudo tens de ser tu a fazer o teu caminho

Soraia disse...

OLaaa cunhado =)
O nosso problema é que as vezes só damos o devido valor as coisas quando as perdemos...
Mas luta por aquilo que queres e luta por aquilo que te faz feliz, não desistas...
Ânimo cunhado...

Pensei que ja nao actualizavas o blog, mas fiquei feliz por ver que sim,

Bjinhos

Daniel Silva (Lobinho) disse...

Uma Pàscoa Feliz... e a aceitação da nossa história no bom e no mau. Nao cries ansidedae nem te consumas: antes, pacifica-te.

Um abraço