domingo, 11 de março de 2018

Cheguei... a Madrid.

Bem, este ano tem sido um pouco atribulado: Seis anos depois lá me despedi. Há muito que era o meu desejo, mas sim, foi estranho. Um mês e tal depois, senti que foi o melhor. Sinto que ganhei anos de vida, sinto-me livre. 

No meio disto tudo, tinha a possibilidade de vir viver e trabalhar para Madrid. Sinto que precisava de algo diferente da minha vida, de um lugar que eu até gostasse, de uma lingua que eu ate entendia, de um lugar que não ficasse tão longe da minha zona de conforto... No meio de tanta confusão, e-mails trocados, viagens até Madrid para tratar de documentos... Eis que a semana de tomar decisões chegou. Tive de decidir quando vinha, comprar bilhete, arrumar as minhas coisas, deixar os meus amigos, deixar Lisboa e deixar a minha família. Custou sim, pensei que fosse mais fácil. Pensei que fosse tudo mais na "desportiva". 

Sinto-me um pouco assustado, fora do meu habitat. É estranho. Sei que só cheguei hoje, mas a angustia que sinto dentro de mim é inexplicável. Tenho vontade de fazer as malas e voltar para onde estava. 
Engraçado... sempre quis vir, e agora que estou aqui, quero ir outra vez. Realmente nós somos seres estranhos. 

Sinto que estou numa maré, em que estou a remar contra a mesma. Não que esteja a fazer algum frete, nem a ser crucificado por mim mesmo,  mas não sei, tinha de tentar. Sabia que ao ficar me iria arrepender de não tentar. Prefiro ir embora se vir que afinal estava iludido. 

Posso até mudar de ideias amanhã, mas não sei até quando consigo suportar esta "coisa estranha". 

Quero novos desafios, quero ser maior, quero brilhar, quero sonhar... voar.

Apenas quero que esta angústia passe, e acima de tudo, quero que tudo aquilo que ficou em Lisboa fique à minha espera... Neste momento existem algumas coisas que lá ficaram e que não sabia que me iam fazer tanta falta... 

Enfim, daremos tempo ao tempo e... Hola, MADRID!

quinta-feira, 28 de dezembro de 2017

1º post: 2 anos depois.

Bem, até é estranho voltar aqui. Com isto tudo passaram dois anos - DOIS! - que não "metia aqui os pés". Não sei bem porquê, mas creio que não havia grandes novidades... Ou então, não havia motivação para aqui escrever. Não é que hoje haja algo de novo, mas estava aqui sem fazer nada, e resolvi fazer uma visita. Este blogue foi a minha companhia durante uns anos, e faz parte de uma etapa da minha vida que ficou lá atrás. Por acaso há tempos ainda estive a ler alguns posts. Foi giro, até é estranho ver a forma como escrevia, e os assuntos que abordava... Mas enfim, não vim cá para falar do passado (pelo menos dessa altura!). Passaram dois anos, e cá ando por Lisboa, e, por incrível que pareça, com o mesmo emprego. Aquilo que penso quando penso que estou há cinco anos e meio a fazer exactamente a mesma coisa é em frustração. Mas sei que a culpa foi minha, estive à "sombra da bananeira" este tempo todo, não dei pelo tempo passar, não investi verdadeiramente em mim, e hoje estou arrependido. Aprendi o que havia para aprender, e agora sinto-me estagnado, a fazer um autêntico frete ao trabalhar e sem motivação. 

Isto não é fácil, mas se não tivermos tomates de encarar as coisas, de apostar em nós, de não ter medos e receios, e de acima de tudo acreditarmos em nós, não dá. Simplesmente não avançamos, nem evoluímos. Por vezes para dar um passo em frente, temos de recuar dois. E cada vez penso mais nisso e é mesmo estranho. 

De qualquer das formas, creio já ter "acordado" um pouco, e passei a ter mais consciência de que acabei o meu curso há sete anos, já tenho 28, e em Março já estou com 29. O mercado não perdoa, e daqui a pouco estou velho para trabalhar. É tempo de escolhas e mudanças e de um novo refresh. É hora de arrumar as ideias! Talvez esteja para breve: Sim, estou com umas "coisas" em cima da mesa, e a ponderar outras. 

Possivelmente terei mais notícias. 

Provavelmente este ano já não devo voltar aqui, mas também só faltam 3 dias para o ano acabar. 

Desejo-vos, a quem lê, um excelente ano de 2018 e que sejam 365 dias de sonhos realizados, de amor e saúde. Lutem pelo que acreditam e sejam vocês mesmos.

Feliz ano 2018.

Beijinhos e abraços,

G.








domingo, 6 de dezembro de 2015

voltei, outra vez lol

Olá pessoal... Quase um ano depois, cá volto... Na realidade não existiram grandes mudanças este ano, apenas vários desafios. Confesso que já tinha saudades de aqui vir, e finalmente, hoje, sábado à noite, com o meu chá ao lado, cá estou eu. Não venho aqui falar de nada em concreto, apenas aqui tirar o pó da casa. O novo ano se aproxima, e daquilo que tinha em vista para este ano, quase nada se concretizou. Temos a mania de nos acomodar, e depois dá nisto... aliás, não dá é em nada... Continuo no mesmo trabalho (aguardo umas novas respostas!), as idas ao ginásio tornaram-se monótonas e dessa forma aquilo que aconteceu, foi praticamente ter deixado de lá ir. 

Penso brevemente voltar a viajar, vai depender das tais respostas que mencionei em cima! Veremos os próximos acontecimentos. Provavelmente irei manter isto mais actualizado :) 

sábado, 3 de janeiro de 2015

FELIZ 2015, MALTINHA!



Que seja mais um!...

Que seja mais um com tudo aquilo que cada um de nós merece. Não vale a pena fazer promessas que não iremos conseguir cumprir.

Importa, sim, no final deste ano, ver realmente o esforço e o resultado daquilo que queriamos, e ver aquilo que ganhámos.

Que o amor e a saúde esteja comigo e com vocês... O resto, o resto a gente faz. 



FELIZ ANO DE 2015 A TODOS!

sexta-feira, 5 de dezembro de 2014

VOLTEI, GENTE!!!



Bem, este blogue já está com teias de aranha. Não tenho cá vindo, isto anda muito agitado por estes lados, mas a ver se mudo aqui o especto disto, e volto à "carga" em postar e ver o que vocês andam a fazer. 

Por aqui, sem grandes mudanças... Continuo no Call Center. Ainda que agora tenha parado por agora, a procura de emprego, andei uma altura a bombardear CV's, mas creio que não estou a fazer a melhor estratégia. Tem havido imenso trabalho na empresa onde estou... uma pessoa fica maluca por lidar com tantos malucos.

Começo a sentir mesmo falta de fazer outra coisa... Aprender coisas novas e ter diante de mim, novos desafios. OK, lidar com gente burra o dia todo, é um desafio *vénia para mim!*

Mudei de casa - outra vez -, mas agora para uma zona mais porreira que a anterior. Brutal foi ter de sair dia 25, e só ter arranjado sítio dia 24 à noite. Han, que pontaria! :P

De resto está tudo na mesma, mas agora é começar a centrar-me em procurar emprego, tanto cá em Portugal como lá fora, e claro, ver se aposto nos próximos tempos num curso de inglês. Estou mesmo a sentir falta. Os meus dias seguem-se também pelo ginásio, manter a forma. Pois é, o objectivo que prometi no inicio de 2014 não se concretizou, mas pronto, acho que será no próximo. 

Estou a pensar fazer uma viagem em Janeiro... Isto de ter as coisas à borla, ou quase a custo zero é bom! Calha bem, e a minha carteira agradece! Engraçado que e acabaram de convidar para passar a passagem de ano em Paris, mas já não consigo os dias, o que é pena. 

Bem, e agora filosofando um pouco... A vida mudou tanto num espaço de alguns anos. Não que viva do passado, mas às vezes quando olho para trás, vejo tanta gente, tantas coisas... hoje apenas vejo memórias, muitas, mas só memórias. Iria eu pensar um dia que hoje o "hoje" ser assim? Não... imaginei diferente, e que com 25 anos, que tivesse num outro tipo de vida da que tenho hoje... É estranho. 

Dass!!! 25 anos... 'tou velho! Para o ano já caso os anos... vou pensar numa festa de arromba! lol






sexta-feira, 26 de setembro de 2014

Fim de um passado.

Já tinha isto escrito aqui há bastante tempo... hoje lá encontrei e resolvi publicar :)

Passou muito tempo e a vida avançou. Cada um seguiu o seu caminho. Se assim foi, foi porque teve de ser. Passado este tempo todo, tenho-me apercebido que realmente existiram grandes falhas da minha parte. Egoísmo, falta de maturidade ou desleixo. Podemos chamar qualquer coisa.
Apesar deste tempo todo, das vidas separadas, de sentimentos que mudaram e da existência de formas de encarar agora a vida, sinto falta do teu sorriso. Sorriso que me acompanhou durante anos, que me dava alegrias e que me protegia.
Ainda que tanto tenha mudado, há sempre algo que me fazer recordar… de ti. Um lugar, uma fotografia, um momento… Tudo isto pode significar que tudo aquilo que sentia era intenso. Era diferente, era bonito. Consigo recuar ainda mais lá atrás, e ver-te na minha vida desde tão cedo, enche-me o coração de saudade, de nostalgia, de tristeza e de alegria.
Continuas a ter um lugar tão especial e tão marcante na minha vida que nem sei como explicar. Também não quero explicar, não vale a pena. Sempre foste importante, e sempre serás pelas razões que nós sabemos. Lamento a mágoa e todas aquelas lágrimas que estupidamente, e por minha culpa, caíram pelo teu rosto. Não me vou esquecer disso, e parte-me o coração não poder recuar, e colar tudo o que foi partido. Mas agora, agora já não vale a pena. Deveria tê-lo feito na altura, não agora. Agora é tarde.

Tudo isto para dizer que nunca te irei esquecer, independentemente daquilo que sinta, independentemente com quem esteja. Porque tu marcaste a minha vida de uma forma que mais ninguém marcará. A vida é feita de encontros e desencontros. Eu encontrei-te, mas acabei por te desencontrar.
O bom e o mau passaram, e ficaram guardados. Guardados no coração de cada um de nós. No meu e no teu. Não tenho palavras para agradecer o que foste para mim. Não tenho palavras para te dizer aquilo que eu poderia ter sido para ti.
Está na hora de deixar as lembranças, levá-las no peito e sentir orgulho de tudo o que se passou. Quanto a ti, sei que hoje estás bem. Tenho pena do rumo que tudo levou, mas eu desejo-te o melhor de tudo porque mereces. Que continues com a força e com esse brilho nesse olhar e com a naturalidade desse teu sorriso.

Terás sempre um lugar especial no meu coração. Porque afinal tu sempre moraste nele.

Alegra-me por te ter tido na minha vida.

quarta-feira, 3 de setembro de 2014

Dog days!

Já não aqui vinha há bastante tempo. O meu tempo tem passado em torno do trabalho, do ginásio e em pouco mais.Não tenho conseguido aproveitar o tempo, nem fazer as coisas que queria, ou pelo menos tudo o que queria. Não tem sido fácil, mas a luta continua. Estou de volta de curriculos e anúncios e sinceramente, parece que é uma agulha perdida num palheiro. O lema é mesmo não desistir. Estou à espera de uma reposta de uma entrevista, e sinceramente fiquei com um bom feeling, dei o melhor de mim, e de facto, tudo o que tenho feito até hoje tem servido para alguma coisa.

Enfim, não há novidades. Quero viajar, férias, sair daqui... mas não dá... Vejo é o verão a terminar... ainda nem senti que tivesse começado.

Já tinha saudades de escrever aqui, vir aqui é estranho mas é bom. De qualquer das formas, creio que irei terminar com o blogue. :) 

ESpero que estejam todos bem por ai :) fica a música que acabei de ouvir...