domingo, 6 de dezembro de 2015

voltei, outra vez lol

Olá pessoal... Quase um ano depois, cá volto... Na realidade não existiram grandes mudanças este ano, apenas vários desafios. Confesso que já tinha saudades de aqui vir, e finalmente, hoje, sábado à noite, com o meu chá ao lado, cá estou eu. Não venho aqui falar de nada em concreto, apenas aqui tirar o pó da casa. O novo ano se aproxima, e daquilo que tinha em vista para este ano, quase nada se concretizou. Temos a mania de nos acomodar, e depois dá nisto... aliás, não dá é em nada... Continuo no mesmo trabalho (aguardo umas novas respostas!), as idas ao ginásio tornaram-se monótonas e dessa forma aquilo que aconteceu, foi praticamente ter deixado de lá ir. 

Penso brevemente voltar a viajar, vai depender das tais respostas que mencionei em cima! Veremos os próximos acontecimentos. Provavelmente irei manter isto mais actualizado :) 

sábado, 3 de janeiro de 2015

FELIZ 2015, MALTINHA!



Que seja mais um!...

Que seja mais um com tudo aquilo que cada um de nós merece. Não vale a pena fazer promessas que não iremos conseguir cumprir.

Importa, sim, no final deste ano, ver realmente o esforço e o resultado daquilo que queriamos, e ver aquilo que ganhámos.

Que o amor e a saúde esteja comigo e com vocês... O resto, o resto a gente faz. 



FELIZ ANO DE 2015 A TODOS!

sexta-feira, 5 de dezembro de 2014

VOLTEI, GENTE!!!



Bem, este blogue já está com teias de aranha. Não tenho cá vindo, isto anda muito agitado por estes lados, mas a ver se mudo aqui o especto disto, e volto à "carga" em postar e ver o que vocês andam a fazer. 

Por aqui, sem grandes mudanças... Continuo no Call Center. Ainda que agora tenha parado por agora, a procura de emprego, andei uma altura a bombardear CV's, mas creio que não estou a fazer a melhor estratégia. Tem havido imenso trabalho na empresa onde estou... uma pessoa fica maluca por lidar com tantos malucos.

Começo a sentir mesmo falta de fazer outra coisa... Aprender coisas novas e ter diante de mim, novos desafios. OK, lidar com gente burra o dia todo, é um desafio *vénia para mim!*

Mudei de casa - outra vez -, mas agora para uma zona mais porreira que a anterior. Brutal foi ter de sair dia 25, e só ter arranjado sítio dia 24 à noite. Han, que pontaria! :P

De resto está tudo na mesma, mas agora é começar a centrar-me em procurar emprego, tanto cá em Portugal como lá fora, e claro, ver se aposto nos próximos tempos num curso de inglês. Estou mesmo a sentir falta. Os meus dias seguem-se também pelo ginásio, manter a forma. Pois é, o objectivo que prometi no inicio de 2014 não se concretizou, mas pronto, acho que será no próximo. 

Estou a pensar fazer uma viagem em Janeiro... Isto de ter as coisas à borla, ou quase a custo zero é bom! Calha bem, e a minha carteira agradece! Engraçado que e acabaram de convidar para passar a passagem de ano em Paris, mas já não consigo os dias, o que é pena. 

Bem, e agora filosofando um pouco... A vida mudou tanto num espaço de alguns anos. Não que viva do passado, mas às vezes quando olho para trás, vejo tanta gente, tantas coisas... hoje apenas vejo memórias, muitas, mas só memórias. Iria eu pensar um dia que hoje o "hoje" ser assim? Não... imaginei diferente, e que com 25 anos, que tivesse num outro tipo de vida da que tenho hoje... É estranho. 

Dass!!! 25 anos... 'tou velho! Para o ano já caso os anos... vou pensar numa festa de arromba! lol






sexta-feira, 26 de setembro de 2014

Fim de um passado.

Já tinha isto escrito aqui há bastante tempo... hoje lá encontrei e resolvi publicar :)

Passou muito tempo e a vida avançou. Cada um seguiu o seu caminho. Se assim foi, foi porque teve de ser. Passado este tempo todo, tenho-me apercebido que realmente existiram grandes falhas da minha parte. Egoísmo, falta de maturidade ou desleixo. Podemos chamar qualquer coisa.
Apesar deste tempo todo, das vidas separadas, de sentimentos que mudaram e da existência de formas de encarar agora a vida, sinto falta do teu sorriso. Sorriso que me acompanhou durante anos, que me dava alegrias e que me protegia.
Ainda que tanto tenha mudado, há sempre algo que me fazer recordar… de ti. Um lugar, uma fotografia, um momento… Tudo isto pode significar que tudo aquilo que sentia era intenso. Era diferente, era bonito. Consigo recuar ainda mais lá atrás, e ver-te na minha vida desde tão cedo, enche-me o coração de saudade, de nostalgia, de tristeza e de alegria.
Continuas a ter um lugar tão especial e tão marcante na minha vida que nem sei como explicar. Também não quero explicar, não vale a pena. Sempre foste importante, e sempre serás pelas razões que nós sabemos. Lamento a mágoa e todas aquelas lágrimas que estupidamente, e por minha culpa, caíram pelo teu rosto. Não me vou esquecer disso, e parte-me o coração não poder recuar, e colar tudo o que foi partido. Mas agora, agora já não vale a pena. Deveria tê-lo feito na altura, não agora. Agora é tarde.

Tudo isto para dizer que nunca te irei esquecer, independentemente daquilo que sinta, independentemente com quem esteja. Porque tu marcaste a minha vida de uma forma que mais ninguém marcará. A vida é feita de encontros e desencontros. Eu encontrei-te, mas acabei por te desencontrar.
O bom e o mau passaram, e ficaram guardados. Guardados no coração de cada um de nós. No meu e no teu. Não tenho palavras para agradecer o que foste para mim. Não tenho palavras para te dizer aquilo que eu poderia ter sido para ti.
Está na hora de deixar as lembranças, levá-las no peito e sentir orgulho de tudo o que se passou. Quanto a ti, sei que hoje estás bem. Tenho pena do rumo que tudo levou, mas eu desejo-te o melhor de tudo porque mereces. Que continues com a força e com esse brilho nesse olhar e com a naturalidade desse teu sorriso.

Terás sempre um lugar especial no meu coração. Porque afinal tu sempre moraste nele.

Alegra-me por te ter tido na minha vida.

quarta-feira, 3 de setembro de 2014

Dog days!

Já não aqui vinha há bastante tempo. O meu tempo tem passado em torno do trabalho, do ginásio e em pouco mais.Não tenho conseguido aproveitar o tempo, nem fazer as coisas que queria, ou pelo menos tudo o que queria. Não tem sido fácil, mas a luta continua. Estou de volta de curriculos e anúncios e sinceramente, parece que é uma agulha perdida num palheiro. O lema é mesmo não desistir. Estou à espera de uma reposta de uma entrevista, e sinceramente fiquei com um bom feeling, dei o melhor de mim, e de facto, tudo o que tenho feito até hoje tem servido para alguma coisa.

Enfim, não há novidades. Quero viajar, férias, sair daqui... mas não dá... Vejo é o verão a terminar... ainda nem senti que tivesse começado.

Já tinha saudades de escrever aqui, vir aqui é estranho mas é bom. De qualquer das formas, creio que irei terminar com o blogue. :) 

ESpero que estejam todos bem por ai :) fica a música que acabei de ouvir... 



sábado, 28 de junho de 2014

Coisas de psicologia

Depois de muito pensar, no inicio do ano lá iniciei as sessões. Foi estranho, falar com alguém que não conheço de lado nenhum, falar de coisas "estranhas" que nunca falei... Tentar começar pelo principio... Bem, foi complicado, foi.. nem sei dizer. Passados quase sete meses, confesso que voltaria a participar. Cada vez que saia de lá, saia bem, aliviado, diferente...
Ontem foi a última, e realmente, agora vou querer ficar por minah conta. Arrumei muitas coisas, compreendo outras. A mente é tramada, e muitas vezes deixamo-nos ir com a corrente. Corrente essa tão forte que parece que nos vamos afogar. Aconselho vivamente a frequência nas sessões de psicologia. Foi algo diferente, e foi uma das promessas que fiz para este ano, e pelo menos esta consegui cumprir. Sinto-me melhor que há uns meses atrás. Óbvio que não foi muito tempo, mas o pouco que tive, ajudou. Hoje já me entendo um pouco melhor e agora é continuar. :) 

segunda-feira, 23 de junho de 2014

Ou vai ou racha!



Talvez percamos muito tempo a fazer promessas em vão. Temos objectivos a cumprir, coisas que querermos realizar, ter e conquistar, mas muitas vezes não fazemos grande coisa (ou mesmo nada) para as conseguir. A culpa disso é, sem dúvida, nossa e daquilo a que podemos chamar de comodismo. É fácil desejar, querer… É fácil esperar e “pedir” que as coisas se concretizem. E nós? Não nos cabe a nós fazer alguma coisa?
Tenho andado à sombra da bananeira. Sonhos e objectivos não me faltam. Mas sei bem que não tenho feito quase nada por isso. Limito-me apenas a “prometer-me” coisas a mim mesmo.
Acho que cheguei a uma altura da minha vida em que tenho de ter mais ambição e sobretudo, não ficar por ali. Há muito a fazer. Estou a precisar de uma mudança. Não sei se drástica, mas tenho de começar a construir a casa, montar o telhado. Arrumar todas as gavetas. Definir prioridades. Ganhar um animo que talvez me falta e uma motivação que está longe, mas sei que virá.
Há muito por realizar, e se não for agora, quando será? Está mais que na hora de mergulhar de cabeça, acompanhar as ondas que a vida em possa colocar à frente. Eu sei que sei nadar. Posso ter o risco de me afogar, mas terei de tentar. Este “tipo” de vida, o tipo de me andar a “arrastar” não é saudável nem para o corpo nem para a mente.
Preciso de um novo amanhecer, de uma nova experiência, de uma lufada de ar fresco em vários sentidos. Estou disposto a lutar e a sair ferido se assim for. Há dias que realmente tenho andado a pensar nisto, e o facto de ter pessoas que me dão as opiniões importantes, fazem com que reflicta em tudo. Acho que, apesar de ser novo, já perdi tanto tempo, já me acomodei tanto. Sinto-me sem tempo para recuperar. Mas a vida não acaba amanhã, mas também não começou ontem. Já começou há muito tempo atrás e eu pouco fiz.

Se estou cansado? Estou, e muito. Não vale a pena bater mais no ceguinho. Haverão coisas que terão de mudar e uma delas serei eu. Quero um dia olhar para trás e poder dizer “valeu a pena”.