terça-feira, 1 de fevereiro de 2011

Depois queixam-se da discriminação. Porque será?

Estava eu à espera que o sinal ficasse verde, para atravessar a passadeira, e reparo que está um casal já com alguma idade e uma rapariga (ciganos) atrás de mim só a olhar para dentro do supermercado que se encontra mesmo com a porta na direcção da passadeira. Ouvia eles a rirem, e a olharem muito atentos. Olho para lá também e vejo dois putos ciganos na caixa. Um deles vira-se para fora (na direcção da família) e tira um pacote de esparguete de dentro das calças. A família toda contente, e muito orgulhosos de tal facto. O miúdo ainda com alta lata ainda se virou para a parte da frente (onde estava a empregada a passar os produtos) e tem aquilo assim à vista. Ela não deve ter reparado.
Enfim querem ter os mesmos direitos que toda a gente tem mas só arrumam confusões e roubam em todo lado. A discriminação é feita porque que a vive. 
Se eu fosse presidente desta cidade - que está cheia de ciganada - já os tinha metido a andar daqui. E falo pois já fui assaltado há uns anos.

14 comentários:

Palavra Já Perdida disse...

Ai fogo ... ganda lata !!!!

Catarina disse...

apesar de nao ser nada de nada racista e descriminadora, concordo plenamente .

Catarina disse...

claro que voltarei :D

Anónimo disse...

Não sou racista e estarei muito longe de o ser... Assim como vês os ciganos; e como se tivesses direitos p/ os porem a andar os farias... Já pensastes que muitos portugueses algures espalhados pelo mundo podem ter as mesmas atitudes destes ciganos que viste e serem alvos dos "mesmos pensamentos" por ti exposto? É fácil, muito fácil falar, agir e pensar preconceituosamente... Difícil é viver o preconceito... Já viveste? Penso que não...Se todos formos generalizar uma raça, etnia ou nacionalidade perante suas atitudes... O QUE SERÁ DE NÓS PORTUGUESES ESPALHADOS PELO MUNDO DEPOIS DO CASO RENATO SEABRA?

Eu próprio disse...

Anónimo, também não sou racista, mas estás a falar do Seabra, é verdade que foi uma cena muito de fora, mas crimes destes não acontecem todos dias e os ciganos passam a vida a roubar e a armar confusões por todo lado!
dai eu dizer o que disse. podiam ter os costumes deles na boa e estarem bem integrados se não fizessem o que fazem!
Não julgo a raça deles, mas sim aquilo que eles fazem.

Anónimo disse...

A etnia cigana pode até viver a roubar aqui ou alí (mas de certeza não é toda a população cigana). Sempre há o jôio e o trigo em todo o lado e há de os separar sempre... Crimes com o do Seabra acontece em todo lado, e se calhar muito mais frequente do que imaginamos, embora não tome a proporção que tomou por serem pessoas "públicas". Penso que não devemos julgar raças, nem tão pouco atitudes... Não cabe a nós julgar ninguém... Penso que tentar compreender o que se passa diante das atitudes das pessoas é o mais coerente para não tornar-mos cada vez mais bichos que humanos.... A humanidade está a desaparecer, e o que reina é uma selva; onde todos querem ser os melhores, os mais coerentes, os mais correctos.... A lei da sobrivivência hoje é isso, fuder um logo ao primeiro deslize... Sejamos ciganos, portugueses, ingleses, brasileiros...

Eu próprio disse...

é verdade. nem todos os ciganos são iguais. aliás há gente que nem é cigana e também o faz. mas a questão que vi e que falo é apenas deles.
eles fazem o que querem e não são quase punidos por nada. depois por causa de uns (os maus) pagam todos, injustamente.
não sou ninguém para julgar alguém, mas é verdade o que penso.
e concordo, infelizmente isto é mais uma selva onde cada um está só a pensar em si.
crimes como o do seabra podem ser frequentes, mas são punidos. os ciganos não (pelo menos que e saiba) não se podem safar só porque - alguns - não são tão graves... né? já agora, porque comentas em anonimo? =P

honney m disse...

é essa a minha vontade, que paciencia! :)

Tia Complicações disse...

Querido anónimo, também não sou racista. No entanto a “maioria” dos ciganos são por natureza párias da sociedade. Essas pequenas minorias são protegidas pelo Estado. São muito unidos, por isso quando acontece algo a um cigano, junta-se um bando deles. Sabes porquê? Porque são desocupados se trabalhassem não tinham tempo para tanta solidariedade. Visita o meu blogue que tenho um post sobre os ciganos, tenho a certeza que ficas um pouco elucidado. : )
Na minha opinião, o caso Seabra nada tem haver com os portugueses, quanto mais com os ciganos. Por este mundo fora, em qualquer país por mais civilizado que seja, sempre, ocorreram crimes hediondos.
Sendo assim, também já somos famosos ]:)

Anónimo disse...

Querida Tia complicações. Visitei o seu blog e não fiquei nada elucidado, visto que conheço dezenas de mulheres portuguesas que andam a parir de 2 em 2 anos para garantir os subsídios e não trabalharem... Por isso esta prática da "vadiagem", não têm nada haver com grupos étnicos. E ao que se refere a solidariedade que há na população cigana não é só por serem "vadios" é por serem mesmo solidários entre os seus.... Já viu a solidariedade que ronda acerca do Renato Seabra? Será que toda Cantanhede e muitos portugueses que sensibilizaram com o trágico futuro do rapaz serão todos vadios? Nada tem haver uma coisa com outra... E por acaso, não deves ter lido bem o porquê de correlacionar o caso Seabra aos dos ciganos, uma vez que o citei devido simplesmente ao título do post "DISCRIMINAÇÃO"... :-)

ButterFly disse...

Como pode os miúdos terem educação se os pais/avós/educadores os incentivam a praticar o mal.
Como se costuma dizer....Os respeito e a educação aprende-se em casa.

Tia Complicações disse...

Já vi que não estamos de acordo. :)
No entanto deixe-me dizer que as mentalidades dessas mulheres são mentalidades do século passado, a única riqueza que conseguem é filhos, muitos braços, não para trabalhar no campo, como a minha avó, mas para garantir os subsídios. São frutos dos tempos que correm.
Aqui estou de acordo consigo querido anónimo.
Será que essas mulheres (famílias) quando gastam o dinheiro na renda da casa e as outras contas adstritas à habitação mandam os filhos mendigar para os alimentarem. No que refere à solidariedade do Renato Seabra, acredite, que se vivesse lá perto também eu fazia parte dessa manifestação, num sábado pelas 22 horas já eu tinha cumprido o meu dever como cidadã, agora só me faltava cumprir o meu dever cívico. DISCRIMINAÇÃO é palavra que não faz parte do meu dicionário. No meu comentário que passo a citar escrevi «…a maioria dos ciganos…»

Anónimo disse...

Tia complicações,até acho que estamos de acordo sim, apenas temos visões diferentes de determinadas circunstâncias... Com certeza a cultura cigana é aproveitar-se da multiplicação dos filhos p/ garantirem os subsídios e, achando pouco ainda "mendigar"... De facto na sociedade portuguesa a multiplicação dos filhos são também p/ garantirem os subsídios, RSI.... Mas, não os ponhem a mendigar (concordo consigo neste aspecto), porém, estes filhos andam o dia todo em creches ou escolas para garantirem as refeições, e aos fins de semana mandam à casa de um vizinho e/ou familiar.... (falo isto porque já fui vítima desta prática), e por pena dos miúdos dava-lhes sempre um prato de comida, visto que vinham à casa mesmo as horas das refeições!!! Não necessariamente por não terem condições financeiras para alimentar-se em casa, mas sim, por terem mães, como você mesmo disse: "com muitos braços", mas com pouca vontade é de ter trabalhos...

Tia Complicações disse...

Tá bom anónimo, deixo-te levar metade da bicicleta, a outra metade é minha ;)