domingo, 26 de dezembro de 2010

A brisa da noite




Ao abrir a janela deparo-me com a brisa da noite que tanto sentimento me trás. Por momentos consigo recuar no tempo e é mesmo como se fosse real. Cada vez que abro essa janela, há sempre uma coisa de que me lembro: do que um dia fui e pelo que um dia passei. É um sentimento um tanto complicado de descrever ao olhar para este céu estrelado! Parece que cada estrela significa um momento, ou uma pessoa na minha vida. Sinto saudade, não me canso de repetir. É esta brisa da noite, com o seu aroma, que me faz esboçar um sorriso, pois é aqui onde tenho a certeza de que alguma coisa ficou para trás: existiu um passado. A noite lembra-me imensas coisas, tantos momentos, algumas pessoas... É pena não poder viver noites como aquelas que outrora vivi. Esta brisa, esta escuridão e este aroma são algo que todos dias faço questão de sentir, pois sentir de perto aquilo que gostamos é sentir que estamos vivos. A noite é a minha companheira de recordações. Diz-me tanto sem dizer uma única palavra. São 03h20 da manhã e ainda nem falamos, mas consegui sentir o que me transmitiu.

1 comentário:

Luís Coelho disse...

Bom dia
Um belíssimo texto onde todos nós poderíamos estar, bebendo essa brisa e saboreando as saudades das origens e dos passos esquecidos no tempo.

Votos de Boas Festas