sexta-feira, 27 de maio de 2011

Um episódio da minha vida que nunca escrevi.

Descupem o texto longo, mas não consegui resumir mais... 


Eram finais de Agosto de 2005, quando comecei a ter uns sintomas que se começaram a agravar. Eram sintomas que me estavam a impedir de ter a minha normal. Comecei a ter falta de visão, a ver coisas que não existiam. Estava muitas vezes nas aulas ou na rua com os meus amigos e para além de visões deixava de sentir a minha perna e braço esquerdos. Entrava num estado de "pânico" porque não os sentia, foi complicado. Pior ainda eram as fortes dores de cabeça com que acordava logo de manhã, e piores aquelas que tinha quando fazia algum esforço, tal como rir. Sempre fui uma pessoa que ri muito, então imaginem tamanha a dor que não sentia ao mesmo tempo. Sentia-me muitas vezes mal disposto, enjoado, tonto e vomitava bastantes vezes durante a noite. Nas aulas de educação física sentia-me muitas vezes mal, mas normalmente e a sorrir queixava-me. Ninguém me levava a sério, principalmente a professora. E com razão. Tinha ido ao médico várias vezes e ora eram enxaquecas ou era falta de óculos ou era do estômago (o meu sempre foi muito sensível mas...) ou tinha de deixar de comer laranjas, chocolates ou ovos (que causa dores de cabeça). Nesse dia, a 6 de Março de 2006, e como já estava farto disto pois eu tendia a piorar, resolvi que se tivesse furo a francês iria ao médico. Acontece que tive furo e fui ao médico queixar-me. O médico estranhou os meus sintomas e fez-me perguntas, aliás muitas... Estranhei o olhar dele, e passou-me uma TAC à cabeça. Nesse dia liguei e marque o exame. Dia 9 lá fui eu. Estava super mal nesse dia, tinha tido uma noite péssima. Fiz o exame. Mandaram-me embora e disseram para ir lá as 19h desse dia (normalmente só está pronto uma semana depois, mas acho que foi de ter sido pedido de urgência). Fui com a minha mãe levantar o exame. A Dra. lá falou com ela por alto que eu tinha alguma coisa na cabeça. Fui para o hospital de Torres Novas, onde fiz diversos exames e onde uma médica especializada viu os exames e falou, juntamente com uma psicóloga, com a minha mãe. Era grave e eu não sabia. Fui de ambulância para Lisboa, para o hospital de Santa Maria. A minha mãe estava estranha, já tinha estado a chorar ao telemóvel, mas eu na minha inocência julguei ser preocupação de mãe. Cheguei ao hospital, sereno e bem disposto, fui falar com um médico que me explicou que eu tinha um quisto na cabeça, muito comum em jovens na minha idade e que iria fazer exames e que iria ser operado na semana seguinte. No dia seguinte, a 9 de Março, acordo e levam-me para a sala de operações. Eu não estava a perceber o que se tinha passado. A operação durou cerca de 12 horas. Tinha-me sido detectado um tumor cerebral. O pós operatório foi péssimo e sai ao fim de uma semana do hospital...
Tudo isto para dizer que passei a acreditar mais em Deus e na sorte que tive. Foi tudo muito rápido a meu favor. Embora tenha sido um mau bocado na minha vida, senti-me acarinhado como nunca antes. Senti o apoio da minha grande família, da minha namorada e dos meus amigos. Sem eles não teria conseguido. A vida ou a sorte deu-me uma segunda oportunidade de continuar a ser quem sou. Tudo isto me possibilitou viver e aprender...

9 comentários:

Cláudia disse...

Bem... Que vitória!
Espero que estejas recuperado totalmente... Fquei sem palavras...

Beijo grande

Katia disse...

Nunca mais tivest nd?...
A isso chamo vitoria... es realmente mais um dos mts vencedores... =)
bjs*

Lu disse...

Arrepiei-me, juro. Porque há coisas que nos são muito proximas e pessoais e depois lemos isto e ficamos a pensar em tudo...
Fico bastante feliz por saber que ultrapassaste essa fase :)

Beu, a Ruiva. disse...

Que grande susto ...
É nestes momentos que somos obrigados a dar muito mais sentido á nossa vida e a redefinir prioridades.
Um bem haja ENORME para ti e para a tua força de vontade.
Beijinho

O meu reflexo disse...

Esta foi talvez a maior vitória da tua vida! Felicidades

b disse...

Hey :o

catherine disse...

Por isso mantem-te sempre bem disposto. A vida é macaca? É. Mas caga nisso, ultrapassaste isso, já és um vencedor! :)

Daniel Silva (Lobinho) disse...

Obrigado por partilhares. É nesta situaçoes que quase damos depois mais valor à vida e a quem nos rodeia, nao é? Um enorme abraço e parabéns :)

Isis disse...

És um lutador. Agarra esta nova "Vida".